Produção de seguros cai pelo segundo ano

Por António Pereira em 03-04-2014 em Imprensa
0
0

O sector segurador português voltou a ser penalizado pela crise económica e financeira e registou uma quebra de 5,4% em termos homólogos, o que representa um volume de produção na ordem dos 10,2 mil milhões de euros.
Um desempenho que é, no entanto, francamente melhor que o registado em 2011, ano durante o qual a produção de seguros (valor dos prémios recebidos) caiu quase 30% face a período homólogo, segundo dados do Instituto de Seguros de Portugal (ISP). A penalizar as contas das empresas de seguros estiveram tanto o ramo Vida – que contraiu 6,1% – como o ramo Não-Vida, onde a produção se reduziu em 3,8%. No entanto, sublinha o ISP em comunicado, “as operações de capitalização registaram um reforço comparativamente ao ano anterior”.
Estes valores permitiram às empresas supervisionadas pelo ISP manter praticamente inalterada a estrutura da carteira, onde o ramo Vida continua a ter um peso de 66%. Os montantes geridos pelos fundos de pensões registaram uma subida de 9,3%, para cerca de 14,5 mil milhões de euros.

Comentários

comentários

Acerca do Autor

António PereiraVer todas as publicações de António Pereira
Iniciou a sua carreira de perito avaliador / regulador de automóveis na MAPFRE, em 1994, desenvolvendo essa atividade em parceria com a industria seguradora, de forma rigorosa e exigente, até aos dias de hoje.

0 Comentários

Deixar um comentário

Deixe uma Mensagem

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Receba as novidades por Email

Se encontrou algum conteúdo que lhe interessa, inscreva-se para receber um resumo mensal com todas as novidades.
Email
Nenhum dado será fornecido a terceiros